Inovar, segundo definição do dicionário da Língua Portuguesa, significa realizar algo novo ou que nunca havia sido feito antes, produzir novidades.  

No entanto, criou-se uma associação entre inovação e o uso da tecnologia. Essa com certeza é uma das formas de inovar, mas a definição não está necessariamente relacionada apenas à utilização de ferramentas, como abordamos neste conteúdo aqui.

Isso quando não vinculamos a inovação a inclusão do ensino de robótica e programação no currículo da escola. Logicamente que a inserção de tais métodos é fundamental para o desenvolvimento dos alunos, visto que são uma das principais necessidades hoje em dia. Mas ainda podemos cair na falsa ideia de que adquirindo dispositivos tecnológicos, estamos inovando.  

Primeiramente, podemos refletir: por que que inovamos?

Iniciei esse artigo com uma definição da Língua Portuguesa, algumas vezes, quando não entendemos algo podemos recorrer ao dicionário. Afinal, entender o nosso idioma, termos, conceitos e a lógica dele é essencial para o desenvolvimento de qualquer outra Ciência, visto que é a nossa língua que nos permite compreender o que está sendo dito, escrito, etc.

E falando em lógica, como eu poderia pensar tão racionalmente, comparar e analisar os fatos, sem desenvolver antes de tudo o pensamento matemático? A Matemática não está presente somente quando somamos, subtraímos, dividimos, ou multiplicamos algo. Ela nos apoia até mesmo quando tentamos ser criativos.  

Está percebendo que há uma conexão em tudo? Seria essa transdisciplinaridade também uma nova forma de ensino? Talvez não tão novo, mas com certeza é um método inovador. Sou só eu ou você também lembrou do STEAM? Metodologia que une Ciências, Tecnologia, Engenharia, Arte e Matemática e faz parte da premissa da Educação 4.0, um modelo de ensino alinhado com as necessidades para os dias de hoje.  

Perceba que poderíamos facilmente incluir a Língua Portuguesa nesse conjunto de Ciências, para apoiar na compreensão e pensamento crítico das mesmas. Assim poderemos produzir ou realizar algo novo, ou então, que nunca havia sido feito antes. Isso aconteceu de forma tão natural, pois inovar é simplesmente natural no nosso processo evolutivo, e o aprendizado tem que acompanhar essa evolução.

É possível que o ensino de Matemática e Língua Portuguesa seja inovador?

Antes de tudo, voltemos a nossa questão inicial: por que que inovamos?  A Matemática e Língua Portuguesa sempre estiveram e, posso afirmar que estarão para sempre inclusas no ensino. Elas são a base para todo o conhecimento, sem elas é quase impossível desenvolver outras habilidades.  

Porém, para que inovar em matérias tão básicas? Como dito, não é uma ferramenta que tornará a escola inovadora, mas trabalhar novas metodologias, engajar o aluno e faze-lo compreender a Matemática e a Língua Portuguesa de forma natural e que que faça sentido no dia a dia dele, pois elas irão acompanhá-lo para toda a vida. Já é quase um consenso que não faz mais sentido ensinar de forma que o aluno apenas decore formulas e conceitos. É preciso conquistar os alunos todos os dias.  

Cada dia é uma nova oportunidade de olhar de um jeito diferente para os temas que sempre estiveram ali. Inovar é fazer de algo tão intrínseco a nós, como a nossa língua, em algo encantador, ou tão natural como pensar matematicamente, em algo surpreendente. Isso sim é ter um ensino inovador.  

Vale lembrar que em qualquer processo de transformação e inovação é preciso analisar estratégias, definir metas e estipular um plano de ação. Para que esse processo de inovação aconteça de forma fluída, tranquila e com segurança em sua instituição de ensino, você pode conversar com um dos nossos especialistas:

Seja referência em inovação