Você já parou para pensar em tudo que mudou nos últimos anos? O jeito de pedir comida, de escolher filmes para assistir, a forma de pedir um táxi, o meio de pagamento para contas, o jeito de transferir dinheiro e por aí vai. O mundo muda todos os dias e nós mudamos com ele.  

Agora, e as escolas, elas têm conseguido acompanhar a evolução do mundo? Alguns podem até dizer que sim, que hoje suas escolas contam com dispositivos como computadores, tablets, projetores ou até mesmo lousas interativas. Mas o quanto o ensino mudou?  

Pedir para que um aluno use a ferramenta de textos de um computador para entregar o trabalho ao invés de usar uma folha de papel almaço não torna o ensino tecnológico. A simples inserção de dispositivos em sala de aula, por si só, não faz com que uma escola se torne inovadora. É preciso ir além!  

Escola x Inovação

O modelo de ensino de muitas escolas está defasado, replica o que foi implantado durante a revolução industrial, onde o que era foi feito nas fábricas foi levado para as salas de aulas. Esse sistema não atende as expectativas dos alunos e também não está alinhado com demandas do século XXI.  

É fato que muitas escolas já fizeram investimentos significativos em dispositivos para levar a inovação para dentro das salas de aula. A pandemia vivida nos últimos anos foi, inclusive, a principal responsável por isso.

O grande ponto é que para que essas aquisições tragam resultados, é preciso uni-las ao método. As novas tecnologias precisam fazer parte do currículo escolar, assim como já fazem do dia a dia dos alunos.  

Para isso, é importante que os gestores estejam atentos ao mercado, para investir em soluções de tecnologia educacional que façam sentindo para a realidade da instituição, venham de encontro com as necessidades de cada turma e promovam a evolução do ensino.

Leia mais: Mercado da educação projeta estabilidade para 2022 e crescimento para o ano seguinte  

Os professores, por sua vez, precisam deixar de lado o papel de transmissores do conhecimento, passando a atuar como catalisadores, incentivando o protagonismo de seus alunos. Além disso, precisam abraçar as novas tecnologias como aliadas na construção de aulas mais lúdicas e engajadoras.  

Como formar cidadãos conectados com o amanhã

Entendendo que o futuro da educação é construído hoje e que escola é uma das principais responsáveis pela formação dos cidadãos do amanhã, educadores precisam trazer para sala de aula métodos, conceitos, modos de ensinar e recursos que ajudem a preparar seus alunos para o mundo que os aguarda.  

Para isso, é indispensável trabalhar questões socioemocionais, incorporar às aulas novos conceitos como STEM e STEAM, desenvolver o pensamento matemático, além de incentivar a aprendizagem ativa.  

As novas tecnologias são, sem dúvidas, recursos indispensáveis que não podem mais ser ignorados se buscamos a evolução da escola. Elas já são realidade na vida dos alunos e precisam se tornar parte do dia a dia escolar. Afinal, o ensino inovador e de qualidade caminha junto com o ensino tecnológico.  

Seja uma escola inovadora.
Clique aqui e saiba como.