A base para o pensamento computacional é a tecnologia, mas não necessariamente ele está ligado somente aos computadores e a programação deles. Talvez você já tenho feito o uso de tal habilidade, mesmo que de forma inconsciente.  

O pensamento computacional pode ser definido como uma habilidade para resolver problemas e desafios de forma eficiente, assim como um computador o faria. Essa resolução pode ou não envolver equipamentos tecnológicos, mas a sua base é a exploração de forma criativa, crítica e estratégica dos domínios computacionais.

Usar o pensamento computacional é ver um desafio ou problema, refletir sobre ele, separá-lo em partes, resolver cada uma dessas partes da maneira mais lógica e assertiva, para daí sim chegar a um resultado final.

Dessa forma, podemos dividir o pensamento computacional em 4 pilares:

  1. Decomposição: dividir o seu desafio em problemas menores, para facilitar a sua compreensão;
  1. Abstração: reconhecer o que é mais importante na situação-problema, para deixar de lado o que não for essencial;
  1. Reconhecimento de padrão: o que se assemelha no problema, quais as repetições e similaridades que ele tem e que podem auxiliar na sua resolução;
  1. Algoritmo: propõe uma ordem e sequência de passos para resolver o desafio ou problema.

Qual a importância do pensamento computacional para a escola

Para além de ser usado em situações cotidianas, o pensamento computacional é muito importante na escola, pois por meio dele, as crianças aprendem a pensar de forma crítica e passam a revisar o que produzem. Quando bem aplicado, os alunos passam a resolver situações com base nos quatro pilares do pensamento computacional, notando padrões e chegando a conclusões de maneira lógica.  

Como já citamos anteriormente, essa habilidade não está necessariamente ligada à programação, mas sim a princípios que auxiliam a resolver problemas. Portanto, o pensamento computacional auxilia na construção do conhecimento em diversas áreas, uma vez que o pensamento lógico fomenta o aprendizado de qualquer disciplina.

Além de tudo, ele desenvolve as habilidades essenciais para o futuro dessas crianças, como raciocínio lógico, resolução de problemas, trabalho em equipe, empreendedorismo e criatividade. Assim, a escola forma alunos que vão saber modelar e resolver problemas de determinada área, de maneira rápida e eficaz.

A própria Base Nacional Comum Curricular (BNCC) cita o pensamento computacional, com foco especial no ensino da Matemática, mas também quando frisa a cultura digital em suas dez competências.

Como desenvolver o pensamento computacional na escola

Como você já deve ter notado, o pensamento computacional é muito importante para o desenvolvimento das crianças e jovens. É possível levá-lo até a sua escola com o ensino da robótica e da programação, que facilitam no desenvolvimento do raciocínio lógico, além de permitir que os alunos adquiriram conhecimentos mais técnicos voltados aos fundamentos da computação.

Outra maneira é com metodologia ativa de ensino, a qual favorece o protagonismo do aluno, lhe permitindo maior autonomia e contribuindo para um espaço escolar mais dinâmico e criativo. Sendo assim, a escola pode optar por trabalhar com o ensino STEAM, a sala de aula invertida, a gamificação, além do aprendizado por projetos.

Independente da escolha da sua instituição, é importante que decisão esteja alinhada à cultura e ao plano político pedagógico escolar. Lembrando que desenvolver o pensamento computacional dos seus alunos é um grande diferencial, dando maior vantagem competitiva para a sua escola.

Desenvolva o pensamento computacional dos seus alunos com as melhores soluções tecnológicas