Avaliação mostra que Brasil continua abaixo da média da OCDE na Educação.

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) divulgou nesta semana o relatório Pisa 2018 (Programa Internacional de Avaliação de Alunos). Esse relatório avalia o desempenho de 600 mil estudantes, com 15 anos, em 80 países, incluindo o Brasil, em leitura, matemática e ciências.

O exame é realizado a cada três anos e nesta edição (aplicada no ano passado) a ênfase foi a proficiência em leitura. A avaliação elencou como destaque negativo a baixa compreensão na leitura e o mau comportamento em sala de aula. O resultado foi chocante e revelou que apenas 2% dos estudantes brasileiros estão acima do nível adequado e 43% estão abaixo do mínimo esperado.  

Em 2018, a disciplina escolhida foi Leitura, na qual o Brasil ficou na 54ª colocação do ranking, com nota 413 (seis pontos a mais do que o resultado brasileiro em 2015, quando o país teve nota 407). A média da OCDE nesse quesito foi 487.

Em Matemática, a nota geral brasileira avançou de 377 para 384 – mas ainda abaixo da média da OCDE, de 489. Já em Ciências, os brasileiros foram de 401 pontos, em 2015, para 404, em 2019. O índice, porém, ainda é muito abaixo da média dos países nessa área (489).

Apesar de algumas melhoras o desempenho do Brasil continua ruim e está entre os 20 piores no ranking das três áreas analisadas.

Ainda que a aplicação do exame seja criticada por alguns profissionais, devido às condições e realidades diferentes de cada país, é notável que o nível socioeconômico dos jovens tem impacto nos resultados. Aqueles em situação de maior vulnerabilidade apresentam notas mais baixas do que aqueles mais favorecidos.

04/12/2019